5 de jan de 2016

Feng Shui, muitas escolas

Gosto de tudo muito explicadinho, geminiana que sou.
E gosto de compartilhar as explicações e desde que comecei a estudar o Feng Shui notei que há muita variedade de informações, opiniões e polêmicas sobre o assunto. Tudo porque existem diversas linhas/escolas de Feng Shui.

Há milhares delas - muito mais do que as descritas aqui - com origem na China. E aqui está um resumo de leituras que fiz sobre algumas das escolas.



Feng Shui Tradicional ou Clássico: Existem duas tradições, San-Yuan, a mais antiga (Dinastia Tang) que tem como referência a Escola da Forma, mas usava uma bússola magnética. E, San-He, que surgiu há mil anos a partir da observação da paisagem do norte da China e com o uso da Lo Pan (bússola chinesa). E dessas duas tradições surgiram muitas escolas,

Atualmente, as escolas mais conhecidas e utilizadas são:

Escola da Forma: É a mais antiga das escolas e trata analisa o mundo físico e suas relações com o universo. Seu princípio é a observação da paisagem e das formas. Utiliza a teoria dos 5 elementos, do yin e yang e o conceito do chi (energia vital). Nesta escola a percepção visual é muito importante para escolher um terreno ou construir um imóvel.

Escola da Bússola: Sua análise envolve o uso da bússola Lo Pan e cálculos e mapeamentos a partir das direções magnéticas. Avalia a energia cósmica, os elementos da natureza e ainda usa I Ching, astronomia, astrologia, datas favoráveis (analise dos 4 pilares: hora, dia, mês e ano de nascimento de cada morador), Ming Gua (trigrama da vida ou destino). Essa escola trabalha com vários métodos e técnicas, mas os fundamentais são o Ba Zhai (ou 8 residências) e o Xuan Kong (ou Estrelas Voadoras).

Feng Shui do Budismo Tântrico Tibetano do Chapéu Negro ou Escola Californiana: Criada pelo mestre Lin Yun (templo e sede na Califórnia, EUA) é a mais conhecida no Ocidente pelo nome de Feng Shui do Chapéu Negro. Sua principal ferramenta é o Baguá (mapa octogonal) que é posicionado sobre a planta baixa e a partir da porta de entrada do imóvel. Utiliza muito a intuição por meio de rituais, meditações e limpeza energética nos ambientes. Considera curas e mudanças nos espaços internos e trabalha com afirmações.

Feng Shui do Hemisfério Sul: Adaptação criada pela australiana Lindy Baxter e muito divulgada pelo professor neozelandês Roger Green. Os argumentos principais afirmam que o baguá representa ciclos do sol/estações que são invertidos em relação ao Hemisfério Norte e que o Efeito Colioris provocado pela rotação da Terra inverte os movimentos das correntes de vento e do mar de um hemisfério para o outro. Usam técnicas do Feng Shui Tradicional e da Astrologia Chinesa adaptados ao Hemisfério Sul.

Vastu Shastra ou Feng Shui Indiano: Não tem origem chinesa e nem ligação com as escolas de Feng Shui. É uma técnica indiana usada para decoração de interiores e construções que analisa energias, espaços e setores fracos e fortes dos ambientes. A palavra Vastu vem do sânscrito e tem dois significados: quando "a" tem pronúncia breve, significa natureza e quando "a" tem pronúncia longa significa casas, habitações e edifícios.

Vale lembrar que é importante você se identificar com uma das escolas antes de fazer um curso ou procurar um profissional para realizar uma consultoria. Leia sobre Feng Shui, medite sobre o assunto e peça ajuda para buscar a escola mais adequada. Tenha em mente que antes de tudo é necessário acreditar na aplicação do Feng Shui e seguir as orientações com seriedade, intuição, paciência, positividade, fé e sabedoria.

Boas energias do vento e da água 
hoje e sempre!!!
;-)